30/08/2017

School | O último ano do secundário


"Tenho a sensação que este será mais um ano memorável, incrivelmente preenchido apesar das aparentes tardes livres que o meu horário mostra. Só espero que seja ligeiramente menos stressante do que o meu 11º "

Quase um ano após de ter escrito esta publicação aqui estou eu, ainda sem acreditar que daqui a sensivelmente um mês estarei na faculdade - espero eu -, pronta para vos contar como foi este ano letivo e se o que disse se verificou ou não.

O primeiro dia do meu último ano de secundário foi o pior primeiro dia de aulas de entre os 12 que tive. Não o partilhei aqui no blog porque 1- sabia que não me ia ajudar em nada, 2- gosto de ver o Lost Star como o meu happy place, por isso decidi afastar-me daqui. Felizmente e também porque fiz por isso, a partir deste primeiro dia horrível, as coisas melhoraram muito e vivi experiências incríveis.

Foi um ano intenso, completamente de extremos. Mas eu gosto de anos assim, significa, na maioria das vezes, que aprendi e descobri muito e não há nada melhor.
No 12º ano aprendi a distinguir colegas de amigos e apercebi-me que sou a maior sortuda por estar rodeada de tão boas pessoas in their own unique way, mega protetores e supportive dos sonhos e objetivos uns dos outros e garanto-vos que não há nada melhor. Foram definitivamente uma das melhores coisas que o secundário me trouxe.

Achei sempre que não ia conseguir entregar os trabalhos desafios em que o professor de Aplicações Informáticas se ia basear na hora de dar a nota - sendo por isso, provavelmente, a minha maior fonte de stress deste ano -, contudo foi também a disciplina em que mais aprendi no 12º - desde programação a edição de imagem e vídeo, que descobri que adoro!
Tive ainda mais certezas em relação ao curso que quero tirar na faculdade e de que eu tenho de ser a minha maior motivadora, o que resultou em notas bem para além das minhas expectativas - a isto tenho a agradecer a minha capacidade de organização que tenho vindo a desenvolver desde o 10º.

Ouvi imensos artistas e bandas, novos e antigos, e confirmei mais uma vez que é a melhor cura para a alma. Também cantei berrei muito entre amigos, fosse ao som de uma guitarra, em bares e festas ou à beira rio.
Almocei e jantei muitas vezes fora pelas mais diversas razões, dancei muito (mas mesmo muitooo) sem saber dançar e experimentei finalmente sushi - no entanto continuo a preferir Honorato.

Em resumo, foi um ano de imensa autodescoberta - durante o qual me apercebi o quanto valorizo um pedido de desculpas -, de transformações interiores, fortalecimento de amizades, de perceber realmente o que quero e não quero na minha vida, novas experiências - umas felizes, outras nem por isso -, de sair ainda mais da minha zona de conforto, de ser incrivelmente feliz e, por fim, ser mais Inês do que nunca.

4 comentários:

  1. O último ano do secundário é O melhor ano.
    Achei curioso teres gostado de edição de video e imagem porque é mesmo uma área em que tenho bastante interesse - e é também mais ou menos esse o meu curso na faculdade.

    Desejo-te, desde já, boa sorte com os resultados da candidatura à faculdade.

    ResponderEliminar
  2. r: espero que adores a faculdade tanto quanto eu adorei o meu primeiro ano!

    ResponderEliminar
  3. Também me lembro do meu 12º ano assim, muito intenso e cheio de altos e baixos. Acho que é porque, em parte, sentimos bastante pressão em cima de nós e ao mesmo tempo algum receio de deixar aquilo que conhecemos tão bem :) Estou muito curiosa para ler as tuas aventuras na faculdade e desejo-te imensa, imensa boa sorte para esse início! De certeza que vais adorar a experiência e aprender muito :)
    la veine chronicles

    ResponderEliminar