06/01/2017

Música | A minha banda favorita


Quem me conhece minimamente conhece também o meu amor pela música e sabe que me divirto imenso a criar playlists - ficando por isso mega feliz quando me pedem recomendações de artistas/músicas ou dizem que gostam das playlists que criei no spotify. Para partilhar um pouco convosco esta paixão que tenho, hoje venho contar-vos um pouco sobre como a minha banda favorita se tornou nisso mesmo.

No verão de 2013, através do Twitter, descobri e criei uma conta no Spotify, decisão que passados três anos e meio continuo a dizer que foi das melhores. Sempre ouvi muita música, mas encontrar o Spotify foi como encontrar o paraíso, tendo este sido também o grande impulsionador da minha crescente sede pela procura de novos artistas e álbuns - evidenciada pela quantidade ridícula de playlists que lá tenho criadas. O facto de ter à minha disposição uma enorme paleta de artistas - e portanto tipos de música - ajudou-me a perceber aquilo de que gostava e aquilo que se calhar não era tanto a minha praia, fez-me querer saber mais sobre os artistas e música em si.

Isto tudo para contar a história da minha banda favorita, porque também nessa altura passava no Spotify um anúncio do Super Bock Super Rock, que incluía um segmento de uma música dos Arctic Monkeys na apresentação do cartaz, a Don't Sit Down Cause I've Moved Your Chair. A música cativou-me e já tinha ouvido falar da banda, resolvi ir ouvir o seu álbum mais recente Suck It and See. Na altura gostei imenso do álbum, ouvia-o imensas vezes e acabei por decorar todas as músicas daquele álbum - o que não é costume.
Curiosamente, quando me aventurei ainda mais na discografia da banda percebi que aquele não era o meu álbum favorito e que este se afastava um pouco do registo dos álbuns anteriores, que acabei por adorar. No entanto, se na altura - com os meus quase 14 anos e habituada àquilo a que chamo "música de rádio" - tivesse ouvido por exemplo o Humbug ter-me-ia ficado por ali. No Suck It and See encontrei a transição perfeita entre a música pop e o indie rock ou rock alternativo que hoje tanto adoro.

Tal como já disse, o primeiro álbum que ouvi dos Arctic Monkeys não ocupa o primeiro lugar na minha lista, que está reservado para o Whatever people say I am, That's What I'm not, não por gostar de todas as músicas nele presentes mas sim porque das minhas músicas favoritas deles é aquele que mais delas tem nele contido.

Falando agora de uma maneira geral, sinto que tanto nos Arctic Monkeys como nas bandas do mesmo estilo consegui encontrar algo para além das melodias, que foi o conteúdo das letras, o modo como contam uma história é diferente daquilo que - pelo menos eu - sinto que encontro na maioria das músicas mais pop.

Há quem defenda que não se deve encaixotar os artistas em géneros musicais, pois com o lançamento de novos álbuns há uma evolução que pode ou não sair do registo habitual desse artista. Contudo acredito que por mais álbuns que um artista ou banda lance, grande parte das vezes mantêm a sua essência, aquele toque diferente e especial que nos fez e faz gostar deles. O que se calhar não devemos fazer é manter uma mente fechada em relação aos outros géneros de música que achamos que não gostamos.


Numa nota final, embora este não seja o tipo de publicação que eu sei que vá agradar a toda a gente não poderia deixar de fazê-la, portanto espero que gostem e se contagiem pela minha grande paixão, a música.

P.S.: Se gostam da banda mas não seguem as notícias da mesma, ora aqui têm uma boa notícia
P.P.S.: Parabéns ao génio que é o Alex Turner que faz hoje anos!!


Abaixo encontra-se (mais) uma playlist das minhas músicas favoritas dos Arctic Monkeys caso tenham curiosidade.


My Spotify


Já conheciam as músicas mais antigas da banda? Têm algum artista ou banda favorita?

2 comentários:

  1. Também gosto imenso de Arctic! E parabéns ao Alex!

    ResponderEliminar
  2. Arctic é amor! Quando vi a foto percebi logo qual era a banda favorita e fiquei todo contente para ler a publicação! Adoro a banda... comecei a ouvir na altura em que o "AM" foi lançado e, dessa forma, esse álbum acaba por ser o meu favorito e aquele que me é mais especial. Depois desse, estou contigo... "Whatever People Say I Am, That's What I'm Not" é o meu segundo favorito! Fisicamente faltam-me comprar dois álbuns da discografia deles!

    ResponderEliminar