27/08/2016

Escola | Filosofia


Há dois anos estava prestes a começar um novo capítulo com a mudança de escola e entrada no 10º ano. Com isto veio também uma disciplina nova e acreditem ou não até aquele momento não tinha ouvido ninguém dizer bem de filosofia. "É vago", "quanto mais escreveres melhor, mesmo que seja palha", etc. Eu era objetiva no que escrevia e portanto se havia algo para que me faltava jeito era escrever "palha" em testes. Isto associado ao primeiro facto fez com que as minhas expectativas para a disciplina fossem baixas, muito baixas, tanto para o conteúdo da mesma como para a nota que obteria no final do período.
O ano letivo começou e fui surpreendida de modo positivo, ao ponto de estar mais acordada às 8.30 nas aulas de filosofia do que em algumas aulas ao meio dia. Óbvio que ter tido a professora que tive no ano de introdução ajudou imenso, mas a verdade é que esta disciplina me ajudou a olhar para o mundo de um modo diferente, fez-me perceber que nem sempre há um certo, mas haverá sempre um com que irei concordar mais.
Embora considerada por muitos uma disciplina muito teórica e com pouca ou até mesmo nenhuma utilidade no dia-a-dia, eu acho que é aquela cujas as matérias me vêm mais frequentemente à cabeça em situações do quotidiano. Porquê? Estão a ver aquelas coisas que sabemos o que são mas se nos pedirem para definir não conseguimos explicar? Com filosofia houve exemplos disso que ficaram claros, deixaram de ser vagos como me tinham dito anteriormente que seria, daí eu lembrar-me deles em situações diárias e ter passado a olhar para o mundo de uma maneira diferente, como mencionei acima.
Outros dois mitos que gostaria de esclarecer são o facto de ter de se escrever muito, incluindo a palha, e a única maneira de se estudar para um teste ser decorar. Sobre o primeiro, sempre utilizei o método da introdução, desenvolvimento e conclusão para todas as minhas respostas em testes, continuando a ser objetiva, não me limitando a despejar a matéria e sempre tive boas cotações nas respostas. Quanto ao último, este é provavelmente o mais relativo, pois se uma pessoa não gostar mesmo da disciplina e não conseguir visualizar situações comuns em que a matéria é aplicada é de facto difícil, mas acredito que o uso de exemplos quando se está a estudar ajuda imenso a compreender a matéria, e se compreendermos esses exemplos perdemos muito menos tempo do que a decorar palavra a palavra o que está no livro, pois somos capazes de explicá-los usando as nossas, e utilizando este método acreditem que existe muito menos probabilidade de terem uma branca ou confundirem conceitos.
Bottom line is, eu entrei no 10º ano a achar que ia detestar filosofia e acabei por gostar imenso, tanto que considerei fazer o exame no final do 11º, fi-lo e tive uma boa classificação. No entanto com este meu testemunho não pretendo que fiquem a achar que toda a gente devia gostar de filosofia visto que eu gostei tanto, mas sim que não podemos esquecer-nos de que as pessoas são diferentes e por isso reagem às mesmas coisas de modo também diferente, logo não devemos achar que porque x sentiu isso com não sei o quê, também nós o iremos sentir. Não limitem o vosso julgamento às experiências dos outros, mas às vossas.

10 comentários:

  1. Eu também gostei de filosofia quando a tive :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. r: Obrigada Inês :) foi um bom aniversário este ano!

      Eliminar
  2. Vou este ano para o 10º, e filosofia é sem dúvida uma das disciplinas cuja indecisão reina em mim. "Será que eu vou gostar, será que é aborrecido?" são perguntas que faço constantemente. Ajudaste-me a esclarecer umas quantas dúvidas. Obrigado :)
    Beijinhos

    Saturn's Mermaid

    ResponderEliminar
  3. Quando andava no secundaria, a filosofia não era o meu forte :)

    http://trapeziovermelho.blogspot.p

    ResponderEliminar
  4. Nunca gostei muito de filosofia, mas também foi algo que dependeu muito dos professores que tive. Por exemplo, no 10º comecei com um professor excelente, por sinal, e comecei com 16 valores. A meio do ano ele teve que ir embora e quando a professoras substituta chegou baixei para 11, porém ele tornou a voltar no 11º e acabei a disciplina com 15. Na minha opinião, depende, também, dos professores e da forma como ensinam...

    ResponderEliminar
  5. Eu gostei de filosofia qb, não adorei mas também não desgostei. No entanto sei que teria gostado bem mais da disciplina se tivesse tido outro professor :)
    LA VEINE

    ResponderEliminar
  6. Este post deixou-me tão feliz! É um bocadinho injusto considerar que uma disciplina é mais importante que as outras, porque todas são muito relevantes. Mas, se tivesse mesmo que escolher, diria Filosofia. Para mim é A disciplina central, porque nos dá ferramentas para aprender a pensar. E pensar faz muita falta :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Concordo plenamente Nádia! Pena é haver pessoas que não conseguem ver isso, pelo menos agora

      Eliminar
  7. Gostei imenso da filosofia do meu 10º ano!
    Já sigo o teu blog querida!
    xx

    http://morelovebeatriz.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  8. Hallo, estou a tentar divulgar um pouco o meu blog, se puderes espreitar o meu cantinho e quem sabe se gostares e seguires, ficava muito agradecida.

    Beijinhos,
    Mia
    http://amelhoramigadototoro.blogspot.pt/

    ResponderEliminar