12/03/2016

Believe in yourself

(Fotografia da minha autoria)

Há pouco mais de uma semana estava a começar o que achava que seria uma das semanas escolares mais cansativas da minha vida. Tinha um plano pouco definido mas com um lema concreto: não procrastinar. Senti muitas vezes que tinha sido atropelada por um caminhão e quis parar por um momento para dormir, contudo, na maioria das vezes, não o fiz.

Nesta fase da minha vida, 11º ano, a maneira como encaramos a escola começa a ter uma enorme influência nos nossos resultados e apesar de faltar mais de um ano para me candidatar à faculdade,  falta mais um ano. O que faço ou não agora pode (vai) ter impacto nessa altura.

Se por um lado prefiro preocupar-me com isto agora e não na altura da candidatura, por outro levo isto a um extremo e faço um teste como se a minha vida dependesse disso. E antes desta ronda de testes pus logo na cabeça, a muito custo e sem a certeza de se iria resultar, que não podia pensar assim durante os testes, mas sim "Eu consigo fazer isto e vou fazê-lo".

Não sei se foi o que disse a mim mesma ou a falta de tempo para stressar, mas a verdade é que na maioria das vezes saí dos testes ou acabei uma apresentação com a sensação de missão cumprida, e é tão bom!

6 comentários:

  1. Ainda bem que é essa a sensação que tens :) Não há nada melhor!

    ResponderEliminar
  2. Fico feliz que no final fica tudo bem e a sensação é boa!

    Abraço.

    ResponderEliminar
  3. O que conta é o que sentimos depois de uma grande prova. :)

    ResponderEliminar
  4. Isso é o que realmente importa! :)

    ResponderEliminar
  5. É do melhor! o 11º ano foi um ano completamente extenuante para mim, do mais cansativo que há...

    ResponderEliminar
  6. Fico feliz por ti :D é o que importa!*

    ResponderEliminar