05/02/2016

People grow


Até há cerca de um ano acreditava que as pessoas não mudavam, os amigos que tinha naquela altura iriam permanecer tal como os conhecia e, portanto, iríamos dar-nos uns com os outros até sermos velhinhos. No entanto fui chegando à conclusão de que as coisas não são assim tão lineares quando fomos para o secundários e seguimos caminhos diferentes.

Com o passar do tempo vivemos novas experiências, conhecemos novas pessoas, e tudo à nossa volta acaba sempre por nos influenciar de alguma maneira, nem que seja apenas um bocadinho. Isto faz com que cresçamos, possamos passar a ver determinados assuntos de maneira diferente, deixemos de gostar de coisas que outrora adorávamos, e que descubramos novas paixões. Evoluímos, crescemos, não permanecemos iguais, como seria de esperar.

E se por um lado é óptimo sentirmos que estamos a evoluir como pessoas a cada dia que passa, por outro é possível esquecermo-nos com facilidade de que os nossos amigos, aqueles com que sonhávamos manter contacto até que assim não fosse possível, também passam por este processo, e, infelizmente, por vezes ou deixamos de nos identificar com a pessoa em que se tornaram, ou simplesmente se perde o contacto, etc.

Quando isto acontece eu fico triste, obviamente, contudo também sei que é normal, e muitas vezes prefiro guardar as boas memórias que tenho com essa pessoa e seguir em frente do que "deixar as coisas morrer", acabar com discussões feias e ficar com estes últimos momentos na minha memória.

Resumindo, as pessoas crescem, e por vezes as mudanças não são conciliáveis. Embora me deixe super triste, é também preciso ver que é a vida e que quer queiramos quer não, é praticamente impossível, para não ser radical e dizer mesmo que é impossível, mantermos contacto com todas as pessoas que conhecemos ao longo da nossa vida. People come and go, and that's okay.

12 comentários:

  1. Eu fiquei tão triste quando deixei de me dar com uma amiga muito próxima. Eu podia jurar que seriamos amigas durante imenso tempo até ela se afastar. A verdade, é que sempre fui muito mais amiga dela do que ela de mim. E fiquei incrivelmente triste quando tomei consciência disso.

    Porém, adorei todos os momentos que passei com ela e espero que ela seja muito feliz. Agora tenho um grupo de amigos de que gosto imenso e por enquanto damo-nos todos bem.

    ResponderEliminar
  2. é exatamente isso que acabaste de descrever que eu sinto. Um ano mudou a minha vida por completo. Bastou um ano. Os meus amigos do inicio de 2015 não são os mesmos de agora. Crescemos e mudámos

    ResponderEliminar
  3. Bem, aconteceu-me isso com uma amiga quando ela foi para a faculdade...Hoje falo com uma, vou falando...Mas de resto, não deixei muitas pessoas queridas.
    R: o meu pai reclama sempre de eu não ter habilidade social, mas é suposto fazer o quê? Falar, falar e gostar que me tratem assim do nada?

    ResponderEliminar
  4. É super natural isso acontecer... Quando acabares o secundário vais ver que é igual. Eu ainda mantenho o contacto com algumas pessoas do meu básico, mas são mesmo poucas. E é a essas que tens que te agarrar: se continuam na tua vida e se fazem um esforço por isso, por algum motivo é :) As minhas melhores amigas continuam a ser as mesmas do ensino básico, e não há nada que pague essa amizade!

    ResponderEliminar
  5. Transmitiste para palavras tudo aquilo que tenho andado a sentir nos últimos tempos. Olho para os meus amigos de há dois anos atrás e já não me identifico com muito deles, que na altura julgava serem amizades para sempre, os amigos em comum já são poucos, os gostos passaram a ser diferentes, os lugares que frequentamos também...

    ResponderEliminar
  6. sem dúvida alguma! as pessoas mais importantes ficaram sempre, as outras, só vêm de passagem :)

    www.pinkie-love-forever.blogspot.com

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não concordo que sejam, necessariamente, as mais importantes que fiquem. Acredito que existam outros factores que determinem o fim ou continuação de uma amizade.

      Eliminar
  7. durante o meu secundário tive uma grande amiga, passou comigo pela fase em que temos a nossa primeira grande paixão, tanto eu como ela tivemos o amor da nossa adolescência nessa altura, passámos por muita coisa juntas, experimentamos um cigarro, a primeira imperial, todo esse processo de adolescência...e eu pensava que ela iria ser das pessoas que ficaria comigo também na altura da universidade etc, mas as coisas mudam realmente, ela estagnou a nível de mentalidade, eu penso ter evoluido ou pelo menos separei-me do pensamento dela, e engraçado que ainda agora mantenho uma boa amizade com o que foi o namorado dela na altura e que eu conheci por causa dela ahah a vida dá voltas, ele ainda está comigo, ainda hoje fui por a conversa em dia com ele, e ela já não, já há meses que não a vejo, penso mesmo que já fez um ano e tal.
    Mas há pessoas que tem de passar apenas por determinadas fases da nossa vida, não fico triste pelo que não continuou, fico sim feliz pelo que passámos juntas e pela amizade que partilhámos!

    ResponderEliminar
  8. É mesmo impossível mantermos o contacto com toda a gente ao longo do tempo, mas os importantes acabam sempre por ficar perto...a fila anda, não há muito que possamos fazer contra isso

    ResponderEliminar
  9. Se quisermos manter o contacto mantemos , basta perceber quem são os amigos e quem são os conhecidos , quem vale e não vale a pena.
    Eu tenho amigos que vieram comigo do básico até ao secundário , foram para a universidade e outros trabalhar e nunca nos afastamos , simplesmente porque não queremos.

    ResponderEliminar
  10. Em tempos também achava, muito inocentemente, que ia manter contacto com 'toda' a gente! Hoje em dia já percebi que faz parte e essas situações só me magoam quando acontecem com pessoas que me dizem muito!

    ResponderEliminar